Paris e sua região comemoram a marcha

PARIS E SUA REGIÃO CELEBRAM O MARÇO MUNDIAL DE PAZ E NÃO VIOLÊNCIA

Primeira exibição na França do documentário “O começo do fim das armas nucleares ”

16 de fevereiro, no âmbito da 2ª Marcha Mundial pela Paz e pela Não-Violência, ocorreu no 12º distrito de Paris o primeira exibição na França do documentário O começo do fim das armas nucleares, organizado pelos amigos de Mundo sin Guerras y sin Violencia (parceiro da ICAN) com a colaboração de 100 ECSE, uma instituição cultural de solidariedade. No dia seguinte ao fórum da ICAN, nos dias 14 e 15 de fevereiro em Paris, o documentário foi seguido por um debate com a participação de Rafael de la Rubia, da equipe internacional da Marcha Mundial, e Carlos Umaña, do comitê de direção internacional da ICAN Foi uma oportunidade de discutir questões de interesse com um público não necessariamente especialista no assunto.

Dia de ações para a não-violência em Montreuil e Bagnolet

O fim de semana seguinte foi em Montreuil e Bagnolet, onde no sábado, 22 de fevereiro, Dia de ações para a não-violência, organizado por iniciativa de François Dauplay do coletivo musical Noue music. A partir das 15 horas Centro Social e Cultural de Tofoletti Bagnolet, organizando nessa ocasião o dia das línguas maternas sob o signo da não-violência, o público composto por adultos e crianças, foi apresentado por uma exposição de painéis educativos sobre a não-violência, facilitados pela MAN (Movimento por uma Alternativa Não-Violenta), e por estandes de associação Soleil Comorien y Cultura Solidaire. Adultos e crianças puderam participar de várias atividades: oficinas de pintura em bonés com a opção de escrever a palavra PAZ em várias línguas, jogos educativos na língua materna e, em outra sala, a exibição da versão curta do documentário O começo do fim das armas nucleares. Após o lançamento oficial do dia de Alassane, o chefe do centro que apresentou os diferentes representantes dos grupos envolvidos, crianças e adultos interpretou várias composições musicais originais, como Comores e Berberes, antes de cantar juntos a maravilhosa canção composta por Simon, "Coza Zi Gi" que integra várias maneiras de cumprimentar em várias línguas! Então todo o grupo foi para outra parte do bairro ao ritmo dos instrumentos de percussão e outros ziguezagueando entre os prédios até se juntar a outros membros vizinhos da associação. Les amis da l'école de la Noue em uma passarela, juntando simbolicamente as duas partes do bairro, entre dois municípios. Então, pouco a pouco, pequenos grupos avançaram ao longo da esplanada JP.Timbaud para configurar o símbolo da paz com quase 120 pessoas e lançar vigorosamente o slogan “Montreuil e Bagnolet pela paz e pela não-violência! “Um momento mágico se seguiu: as crianças se entusiasmaram a escrever e desenhar no chão com giz muitos grafites, mensagens multicoloridas de paz e não-violência em todas as línguas. A caravana partiu novamente para a Casa de Quartier 100 Hoche em Montreuil, onde um lanche ao ar livre aguardava os participantes; no jardim compartilhado, Jean-Roch da associação “On sème tous” (Todos semeamos) começaram a cavar a terra para plantar e regar com as crianças uma cerejeira da paz.
  • Uma vez lá dentro, Martine Sicard, da equipe internacional 2MM, fez uma apresentação da marcha e sua jornada até o momento, ilustrada com imagens de vários continentes. E chegou a hora em que Noue music, o grupo vocal e instrumental formado por moradores do bairro, deu um concerto caloroso e alegre de músicas de vários países, convidando finalmente todo o público a dançar ...
O dia terminou em torno de uma refeição compartilhada, foi um grande sucesso para todos, rico em emoções e experiências, com destaque para muitas iniciativas, uma fantástica participação multicultural e intergeracional de mais de 200 pessoas, resultado de um belo trabalho em equipe entre os diferentes grupos e associações de bairro do bairro de Montreuil la Noue, Delpeche-Libération. Tudo devidamente filmado e documentado por Brigitte Cano de Pressenza , Stéphanie e Arthur do coletivo Final Cut entre outros.

Pedido de paz na esplanada Trocadero de Direitos Humanos

No dia seguinte, o Domingo 23 em Paris, um ato simbólico na esplanada do Trocadero Direitos Humanos, em frente à Torre Eiffel, reuniu os humanistas e parte do público que se uniu para realizar um pedido de meditação em círculo, por paz e não-violência, depois de ler um poema inspirador de Nathalie S. que Ele leu o violão acompanhado por Nadège e, em seguida, Martine S. disse algumas palavras sobre o significado dessa segunda marcha, lembrando seus principais temas:
  • A proibição de armas nucleares ... "Estamos determinados a evitar guerras para as gerações futuras. ”.
  • A re-fundação das Nações Unidas, incluindo no Conselho de Segurança, um Conselho de Segurança Ambiental e um Conselho de Segurança Socioeconômica. "Organização das Nações Unidas que defende todos os cidadãos do planeta".
  • A criação de condições para um planeta totalmente sustentável. "A Terra é o lar de todos ”
  • Não discriminação de qualquer tipo: sexo, idade, raça, religião, economia etc. "Nenhum ser humano acima do outro".
  • Não-violência como nova cultura e não-violência ativa como metodologia de ação "A não-violência é a força que transformará o mundo".
As luzes que se acenderam no final mostraram o compromisso dos presentes em continuar atuando e multiplicando essas ações em seu ambiente ...
Redação: Martine Sicard (Mundo sem guerras e violência)
5/5 (Revisão 1)

Diga-nos a sua opinião

avatar
Subscrever
Notificar
Compartilhe!