Lançamento da marcha mundial 2

Houve o lançamento da Marcha Mundial 2 pela paz e pela não-violência no ambiente agradável e histórico do Circulo de Bellas Artes de Madrid.

Este 2 de outubro de 2019, no Círculo de Belas Artes de Madri, após o início simbólico da Marcha Mundial no km 0 da Puerta del Sol, ocorreu no Círculo de Belas Artes, ato oficial que marcou seu início .

Estiveram presentes vários oradores em vários painéis que intervieram na presença de algumas pessoas da 200, todas animadas com projeções de imagens e vídeos.

As diversas atividades realizadas nos anos anteriores 3 foram apresentadas primeiro

A realização de símbolos humanos de Paz e Não-Violência em centros educacionais e esportivos Jesús Arguedas (MSGySV Espanha).

As marchas realizadas na América Central e do Sul por Sonia Venegas, do Equador, que participaram de ambas.

O trabalho de sensibilização realizado na Espanha a nível parlamentar sobre o papel que os deputados podem ter para pressionar o governo na assinatura do Tratado de Proibição de Armas Nucleares - TPAN feito por Pedro Arrojo.

E também a situação da campanha “Chamado às cidades” para apoiar o TPAN com os compromissos assumidos em nível municipal por Carlos del Pozo e Antonio Pérez do Movimiento Social del Casar (Guadalajara-Espanha).

Agradecemos a transferência deste vídeo para Juan C. Marín

Em seguida, foram discutidos os temas centrais da Marcha Mundial 2

    • Pedro Arrojo (Prêmio Goldman) enfatizou a situação de emergência social devido à questão dos recursos, enquanto Paco, da Extinction-Rebellion Spain e Nicolás, da Fridays for Future relataram o recente Greve Mundial do Clima e foram convidados com determinação para agir Não-violento, como forma de pressionar os governos contra essa emergência climática.
    • Carlos Umaña (ICAN, Prêmio Nobel da Paz) interveio através de um vídeo da Costa Rica explicando o risco atual atual de um acidente nuclear e detalhou a situação atual do tratado de proibição de armas nucleares do TPAN, promovido pelos países 122, assinado pela 79, assinado pela 32 e ratificado pela 18, até data. Apenas o XNUMX está faltando mais ratificações para entrar em vigor nas Nações Unidas.
    • Não discriminação: Carmen Magallón Ele expressou seu apoio por parte da WlLPF-Espanha e Marian Galan (Mulheres caminhando pela paz) destacou a situação das mulheres em diferentes países e também fez uma alegação de mulheres como cuidadoras da Mãe Terra.
    • Não-violência: Philippe Moal (Centro Mundial de Estudos Humanistas) Afirmo que, quando há violência, existe uma possibilidade sistemática de não-violência, e o aprofundamento de sua ética, suas ferramentas, seus benefícios e sua metodologia de ação, permite dar respostas coerentes e relevantes tanto pessoal quanto socialmente.
    • Multilateralismo: Um vídeo de Federico Mayor Zaragoza (Culture of Peace Foundation) que abordará em março o tema da re-fundação das Nações Unidas.

Algumas ferramentas foram apresentadas para ajudar a dar mais eco à Marcha e seu aprofundamento na não-violência

Consuelo Fernández (COPEHU) e Philippe Moal (Observatório Noviolencia) comentou suas experiências na realização de oficinas em vários campos (universidades, bibliotecas públicas, etc.).

Na parte mais técnica, Carlos Rossique apresentou um aplicativo de computador para participação cidadã e Antonio Gancedo os vários meios pelos quais a divulgação da Marcha na Web deveria ser apoiada

A seção de cultura e arte não faltava

    • Fran saure, O Editor (Editorial Sauré) informou sobre uma ação tomada no mesmo dia do 2 de outubro em Bilbao por sua editora distribuindo livros ilustrados gratuitos para o jovem 500 para aumentar a conscientização sobre o bullying.
    • Encarna Salas Ele compartilhou a experiência recente do festival musico-cultural que foi organizado no bairro de Eva, em Madri.
    • O ator Alberto Ammann Ele queria enfatizar o papel que a cultura pode desempenhar além do entretenimento, tornando-se uma ferramenta de conscientização e reflexão.
Agradecemos a transferência das imagens para Juan C. Marín e Iban P. Sánchez.

Por fim, Rafael de la Rubia explicou seu princípio e sua jornada geral

Finalmente, Rafael de la Rubia (MSGySV), coordenador da Marcha Mundial 2, explicou seu princípio e seu caminho geral, como serão articuladas as várias ações geradas na etapa da equipe base e sua operação.

Embora o tempo não tenha permitido entrar em detalhes das rotas por cada continente (incluindo o Ártico, a Antártica e a "Viagem de barco pelo Mediterrâneo").

Rafael concluiu com uma chamada inspiradora para participar dessa tentativa:

"... Lá no horizonte que a nação humana pressiona do futuro ...
Cada vez que ele faz com mais força ...
Guiar os sentidos pessoais e orientar as pessoas.
Lá nos encontraremos novamente e todos nos reconheceremos como humanos"

Como fechamento, Isabel Bueno, do CEIP Núñez de Arenas (Madri) e Carolina Egüez, de Little Footprints (Itália), comentou sobre o processo de geminação entre a escola e a orquestra transmitindo de Turim (Itália) uma mensagem de Sabina Colona-Pretti, fundadora da orquestra.

Termino o evento com um belo concerto de Música Galáctica desempenhado pela Mar azul y Joshua Arias; à frente, iluminava-se uma vista panorâmica de Madri, dando o toque final àquele dia do 2 de outubro, enquanto imagens e saudações de várias partes do planeta ainda estavam sendo celebradas comemorando o início da Marcha Mundial.

Martine SICARD
Mundo sem guerras e violência


Agradecemos o apoio com a divulgação da web e redes sociais da Marcha Mundial 2

Rede: https://www.theworldmarch.org
Facebook: https://www.facebook.com/WorldMarch
Twitter: https://twitter.com/worldmarch
Instagram: https://www.instagram.com/world.march/
Youtube: https://www.youtube.com/user/TheWorldMarch
5/5 (Revisão 1)

Deixe um comentário