Lançamento da marcha mundial 2

Houve o lançamento da Marcha Mundial 2 pela paz e pela não-violência no ambiente agradável e histórico do Circulo de Bellas Artes de Madrid.
Em 2 de outubro de 2019, no Círculo de Bellas Artes, em Madri, após o início simbólico da Marcha Mundial no km 0 da Puerta del Sol, o ato oficial que marcou seu início ocorreu no Circulo de Bellas Artes . Estiveram presentes vários oradores em vários painéis que intervieram na presença de cerca de 200 pessoas, todas animadas com projeções de imagens e vídeos.

As diversas atividades realizadas nos anos anteriores 3 foram apresentadas primeiro

A realização de símbolos humanos da paz e da não-violência nos centros educacionais e esportivos Jesús Arguedas (MSGySV Espanha). As marchas realizadas na América Central e do Sul por Sonia Venegas, do Equador, que participaram de ambas. O trabalho de conscientização realizado na Espanha, no nível parlamentar, sobre o papel que os deputados podem ter para pressionar o governo na assinatura do Tratado de Proibição de Armas Nucleares - TPAN feito por Pedro Arrojo. E também a situação da campanha "Apelo às cidades" para apoiar o TPAN com compromissos assumidos em nível municipal por Carlos del Pozo e Antonio Pérez do Movimiento Social del Casar (Guadalajara-Espanha).
Agradecemos a transferência deste vídeo para Juan C. Marín

Em seguida, foram discutidos os temas centrais da Marcha Mundial 2

    • Pedro Arrojo (Prêmio Goldman) enfatizou a situação de emergência social devido à questão dos recursos, enquanto Paco, da Extinction-Rebellion Spain e Nicolás, da Fridays for Future relataram o recente Greve Mundial do Clima e foram convidados com determinação para agir Não-violento, como forma de pressionar os governos contra essa emergência climática.
    • Carlos Umaña (ICAN, Prêmio Nobel da Paz) interveio através de um vídeo da Costa Rica explicando o risco atual atual de um acidente nuclear e detalhou a situação atual do tratado de proibição de armas nucleares do TPAN, promovido pelos países 122, assinado pela 79, assinado pela 32 e ratificado pela 18, até data. Apenas o XNUMX está faltando mais ratificações para entrar em vigor nas Nações Unidas.
    • Não discriminação: Carmen Magallón Ele expressou seu apoio por parte da WlLPF-Espanha e Marian Galan (Mulheres caminhando pela paz) destacou a situação das mulheres em diferentes países e também fez uma alegação de mulheres como cuidadoras da Mãe Terra.
    • Não-violência: Philippe Moal (Centro Mundial de Estudos Humanistas) Afirmo que, quando há violência, existe uma possibilidade sistemática de não-violência, e o aprofundamento de sua ética, suas ferramentas, seus benefícios e sua metodologia de ação, permite dar respostas coerentes e relevantes tanto pessoal quanto socialmente.
    • Multilateralismo: Um vídeo de Federico Mayor Zaragoza (Culture of Peace Foundation) que abordará em março o tema da re-fundação das Nações Unidas.

Algumas ferramentas foram apresentadas para ajudar a dar mais eco à Marcha e seu aprofundamento na não-violência

Consuelo Fernández (COPEHU) e Philippe Moal (Observatório da Não-Violência) comentou suas experiências na realização de oficinas em vários campos (universidades, bibliotecas públicas, etc.). Na parte mais técnica, Carlos Rossique apresentou um aplicativo de computador para participação cidadã e Antonio Gancedo os vários meios pelos quais a divulgação da Marcha na Web deveria ser apoiada

A seção de cultura e arte não faltava

    • Fran saure, O Editor (Editorial Sauré) informou sobre uma ação tomada no mesmo dia do 2 de outubro em Bilbao por sua editora distribuindo livros ilustrados gratuitos para o jovem 500 para aumentar a conscientização sobre o bullying.
    • Encarna Salas Ele compartilhou a experiência recente do festival musico-cultural que foi organizado no bairro de Eva, em Madri.
    • O ator Alberto Ammann Ele queria enfatizar o papel que a cultura pode desempenhar além do entretenimento, tornando-se uma ferramenta de conscientização e reflexão.
Agradecemos a transferência das imagens para Juan C. Marín e Iban P. Sánchez.

Por fim, Rafael de la Rubia explicou seu princípio e sua jornada geral

Finalmente, Rafael de la Rubia (MSGySV), coordenador da 2ª Marcha Mundial, explicou seu princípio e sua rota geral, como serão articuladas as múltiplas ações geradas à medida que a equipe base passa, bem como sua operação. Embora o tempo não tenha permitido detalhes das rotas de cada continente (incluindo o Ártico, a Antártica e a "viagem de barco no Mediterrâneo"). Rafael concluiu com um apelo inspirador para participar dessa tentativa:

"... Lá no horizonte que a nação humana pressiona do futuro ... Toda vez que ele faz isso com mais força ... Guiar os sentidos pessoais e orientar as pessoas. Lá nos encontraremos novamente e todos nos reconheceremos como humanos"

Como fechamento, Isabel Bueno, do CEIP Núñez de Arenas (Madri) e Carolina Egüez, de Pequeñas Huellas (Itália), discutiu o processo de geminação entre a escola e a orquestra, transmitindo de Turim (Itália) uma mensagem de Sabina Colona-Pretti, fundadora da orquestra. O evento terminou com um belo concerto de Música Galáctica desempenhado pela Mar azul y Joshua Arias; à frente, iluminava-se uma vista panorâmica de Madri, dando o toque final àquele dia do 2 de outubro, enquanto imagens e saudações de várias partes do planeta ainda estavam sendo celebradas comemorando o início da Marcha Mundial. Martine SICARD Mundo sem guerras e violência
Agradecemos o apoio com a divulgação da web e redes sociais da Marcha Mundial 2
Rede: https://www.theworldmarch.org
Facebook: https://www.facebook.com/WorldMarch
Twitter: https://twitter.com/worldmarch
Instagram: https://www.instagram.com/world.march/
Youtube: https://www.youtube.com/user/TheWorldMarch
5/5 (Revisão 1)

Diga-nos a sua opinião

avatar
Subscrever
Notificar
Compartilhe!