Homenagem a Gastón Cornejo Bascopé

Em agradecimento a Gastón Cornejo Bascopé, um ser luminoso e essencial para nós.

O Dr. Gastón Rolando Cornejo Bascopé faleceu na manhã do dia 6 de outubro.

Ele nasceu em Cochabamba em 1933. Passou a infância em Sacaba. Ele se formou no colégio no Colegio La Salle.

Ele estudou Medicina na Universidade do Chile em Santiago, graduando-se como Cirurgião.

Durante sua estada em Santiago, teve a oportunidade de conhecer Pablo Neruda e Salvador Allende.

Suas primeiras experiências como médico foram em Yacuiba na Caja Petrolera, posteriormente se especializou na Universidade de Genebra, na Suíça, com a Bolsa Patiño.

Gastón Cornejo foi um médico, poeta, historiador, militante de esquerda e senador do MAS (Movimento pelo Socialismo) de quem depois se distanciou, criticando silenciosamente os rumos do chamado “Processo de Mudança na Bolívia”.

Jamais escondo sua adesão ao marxismo, mas se na prática é preciso defini-lo, deve-se fazer como amante do humanismo e ambientalista ativo.

Pessoa carinhosa, de extrema sensibilidade humana, com olhar travesso e próximo, intelectual ativo, conhecedor da Bolívia natal, historiador vocacional, colaborador da imprensa escrita de Cochabamba e escritor incansável.

Foi membro ativo do primeiro Governo de Evo Morales, entre seus atos destacam-se a colaboração na elaboração do texto constitucional do atual Estado Plurinacional da Bolívia, ou o fracasso nas negociações com o Governo do Chile para conseguir uma saída pactuada do Oceano Pacífico .

Definir Dr. Gastón Cornejo Bascopé é complexo pela diversidade de frentes em que atuou, característica que compartilha com esses seres luminosos, que nos são essenciais.

Bertolt Brecht disse: “Há homens que lutam um dia e são bons, há outros que lutam um ano e são melhores, há homens que lutam muitos anos e são muito bons, mas há aqueles que lutam a vida toda, esse é o essencial"

Em vida, recebeu inúmeros prémios pela longa carreira médica como gastreontorologista, mas também como escritor e historiador, nomeadamente do Fundo Nacional de Saúde, em agosto de 2019, e a distinção Esteban Arce atribuída pela Câmara Municipal, em 14 Setembro do ano passado.

Claro, poderíamos permanecer no currículo esmagador em sua profundidade e amplitude, mas para aqueles de nós que como ele querem um mundo em Paz e sem violência, Nosso interesse está colocado em seu trabalho diário, em sua vida humana diária.

E aqui sua grandeza se multiplica como se se refletisse em mil espelhos.

Ele tinha amigos em todos os lugares e de todas as origens sociais; estava, na boca de seus parentes, próximo, humano, gentil, travesso, solidário, aberto, flexível ... Uma pessoa extraordinária!

Gostaríamos de defini-lo e lembrá-lo como ele se definiu no artigo, "Silo", Publicado no site da Pressenza em 2010, em memória de Silo após sua morte:

"Certa vez, fui questionado sobre minha identificação como socialista humanista. Aqui está a explicação; Cérebro e coração pertenço ao movimento pelo socialismo mas sempre enriquecido pelo humanismo, cidadão de esquerda abomina o sistema de mercado globalizado, criador da violência e da injustiça, predador da espiritualidade, violador da Natureza na época da pós-modernidade; agora acredito firmemente nos valores proclamados por Mario Rodríguez Cobos.

Que todos aprendam sua mensagem e a pratiquem para se encherem de Paz, Força e Alegria !; Esse é o Jallalla, a saudação esplendorosa, a alma, o ajayu que os humanistas encontram."

Dr. Cornejo, obrigado, muito obrigado pelo seu grande coração, pela sua clareza de ideias, por ter iluminado com suas ações não só os mais próximos de você, mas também as novas gerações.

Obrigado, muito obrigado pela sua atitude de esclarecimento permanente, pela sua honestidade e por ter orientado a sua vida ao serviço do ser humano. Obrigado por sua humanidade.

A partir daqui, expressamos nosso desejo de que tudo corra bem em sua nova jornada, que seja brilhante e infinita.

Aos familiares mais próximos, Mariel Claudio Cornejo, Maria Lou, Gaston Cornejo Ferrufino, um grande e afetuoso abraço.

Aqueles de nós que participaram da Marcha Mundial, em homenagem a este grande personagem, queremos lembrar as palavras com as quais ele expressou publicamente sua adesão à Primeira Marcha Mundial pela Paz e Não Violência publicada no site do 1ª World March:

Mensagem pessoal de adesão à Marcha Mundial pela Paz e Não-Violência de Gastón Cornejo Bascopé, senador da Bolívia:

Refletimos continuamente sobre se é possível alcançar uma maior fraternidade entre os seres humanos. Se religiões, ideologias, Estados, instituições são capazes de oferecer uma ética comum, superior e universal para alcançar um Mundo Humano Universal no planeta.

Crise: No início deste século XXI, é clara a demanda universal dos governos por maior solidariedade e segurança diante do crescimento demográfico descontrolado, fome, doenças sociais, migração e exploração humana, destruição da Natureza, desastres naturais. a catástrofe do aquecimento global, a violência e a ameaça militar ofensiva, as bases militares do império, a retomada do golpe que vivemos hoje em Honduras, evocando o Chile, a Bolívia e os países violentos onde o mal lançou suas garras imperiais. Um mundo inteiro em crise e civilização adiada.

Apesar do desenvolvimento do conhecimento, da ciência, da tecnologia, da comunicação, da economia, da ecologia, da política e até da ética, eles estão em crise permanente. Crise religiosa de credibilidade, dogmatismo, adesão a estruturas obsoletas, resistência à mudança estrutural; crise econômica financeira, crise ecológica, crise democrática, crise moral.

Crise histórica: Frustrada solidariedade entre os trabalhadores, sonhos de liberdade, igualdade, fraternidade, sonho de uma ordem social justa transformada em: luta de classes, ditaduras, confrontos, tortura, violência, desaparecimentos, crimes. Justificativa de autoritarismo, aberrações pseudocientíficas do darwinismo social e racial, guerras coloniais dos últimos séculos, frustração do Iluminismo, I e II guerras mundiais, guerras atuais ... tudo parece levar ao pessimismo quanto à opção por uma ética mundial.

A modernidade desencadeou poderes malignos. Predominância da cultura da morte. Angústia-solidão. A ideia-nação dos franceses iluminados originalmente unificando pessoas, propriedades, filiações políticas se dissolve. A mesma linguagem foi pretendida, a mesma história. Tudo degenerou em ideologias divisórias e alienantes, nacionalismos, chauvinismos alarmantes.

Proclamamos: Diante da crise científica, crime organizado, destruição ecológica, aquecimento atmosférico; Proclamamos que a saúde do grupo humano e do seu meio depende de nós, respeitemos a coletividade dos seres vivos, homens, animais e plantas e nos preocupemos com a conservação da água, do ar e do solo ”, uma criação milagrosa da natureza.

Sim, outro mundo ético cheio de fraternidade, convivência e paz é possível! É possível encontrar normas éticas básicas para criar atos morais de caráter transcendente universal. Uma Nova Ordem Global de coexistência entre seres de aparência diversa, morfologia semelhante e possibilidades de grandeza espiritual para encontrar as possíveis coincidências em torno das dificuldades do mundo material.

Um movimento mundial deve criar pontes de compreensão, paz, reconciliação, amizade e amor. Devemos orar e sonhar em uma comunidade planetária.

Ética política: os governos devem ser assessorados por cientistas da natureza e do espírito, para que o debate de ideias éticas seja a base da política em suas nações, territórios, regiões ”. Também assessorado por antropólogos e bioeticistas para que seja viável a inclusão, a tolerância e o respeito à diversidade e à dignidade da pessoa humana de todas as culturas.

Soluções imediatas: É necessário pacificar e humanizar todas as relações entre os seres humanos de todas as camadas sociais. Alcançar justiça social continental e global. Abordar todas as questões éticas no debate pacífico, na luta não violenta de idéias, banindo a corrida armamentista.

Proposta Pós-moderna: Entendimento entre seres de diferentes nações, ideologias, religiões sem qualquer discriminação é essencial. Proibir toda a adesão do cidadão a sistemas político-sociais que alienem a dignidade humana. Agrupando-se em uma reclamação coletiva oportuna contra a violência. Forme a rede global de informação ética e acima de tudo: Semeie a virtude do bem!

Marcha Mundial: Porque ninguém escapa da filiação ideológica, somos livres para escolher o egoísmo ou a bondade, dependendo de como respondemos aos diferentes sistemas éticos; daí a importância fundamental da Grande Marcha Mundial organizada pelo Humanismo internacional, para esta época do início do novo século, justamente quando se intensificam os confrontos na Nossa Bolívia e nos países irmãos.

Começamos a marcha mundial, passo a passo, de corpo e alma, emitindo mensagens de paz por todos os continentes e países até chegar a Punta de Vacas em Mendoza, Argentina, aos pés do Aconcágua, onde juntos selaremos o compromisso geracional de fraternidade e amor. Sempre acompanhado por SILO, o profeta humanista.

Jallalla! (Aymara) -Kausáchun! (Qhëshwa) -Viva! (Espanhol)

Khúyay! -Kusíkuy! Alegria! -Rejoice! -Munakuy! Amor! Amem-se!

Gastón Cornejo Bascopé

SENADOR DO MOVIMENTO AO SOCIALISMO HUMANISTA
COCHABAMBA BOLIVIA OUTUBRO DE 2009


Agradecemos a Julio Lumbreras, pessoa próxima do Dr. Gastón Cornejo, pela colaboração na preparação deste artigo.

1 comentário «Homenagem a Gastón Cornejo Bascopé»

Deixe um comentário