Equador terminou a Marcha Mundial

A Academia Naval do Almirante Illingworth foi o cenário para o encerramento da 2ª Marcha Mundial

La Academia Naval do Almirante Illingworth foi o palco do encerramento do  2ª World March Por Paz e Não-Violência, capítulo Equador. Alunos, professores, pais e convidados especiais se reuniram neste evento.

O programa começou com a entrada das autoridades da Academia Naval, Sonia Venegas Paz, presidente da Associação Mundial Sem Guerras e Violência junto com vários de seus integrantes, seguidas do Pelotão Comando e da Brigada Cívica Internacional, esta última composta por estudantes carregando bandeiras de diferentes países

Ao som de bateria, bumbo, liras e címbalos, a banda de guerra deste centro de estudos adornou o evento e prestou homenagem às milhares de pessoas que se juntaram a este grande dia em todo o mundo.

O ato foi oferecido pelo Senhor Iván Vaca Pozo, Diretor de Cultura da Academia, que exortou os alunos a cultivar uma cultura de paz e não violência em cada uma de suas salas de aula. Além disso, agradeceu a deferência que o Mundo Sin Guerras Equador teve ao convidá-los a participar da 1ª Marcha Sul-Americana e por serem eles a concluir a 2ª Marcha Mundial em nosso país.

A execução dos símbolos humanos não podia faltar, cada um dos cadetes ocupou o seu lugar até formarem o sinal da paz. Da mesma forma, outro grupo com luvas brancas nas mãos simulava o vôo de uma pomba, enquanto seu coordenador lançava para o céu um grande coração feito com balões.

“Sabendo que você pode querer que seja possível, livre-se dos seus medos ...” foi a melodia que Lilly Chele cantou, desde a seção feminina básica, que fez o público cantar a música Color Esperanza, que esperamos ter para que todos os agressão entre humanos.

O folclore equatoriano também esteve presente, vestidos com trajes representativos de nossas montanhas, os dançarinos com uma placa na mão que dizia "VAMOS FAZER PAZ, NÃO VIOLÊNCIA".

Finalmente, graças à Associação Cores pela Paz da Itália, os participantes foram convidados a visitar a exposição de 120 pinturas feitas por crianças de todo o mundo.

0/5 (Comentários 0)

Deixe um comentário