Carta em solidariedade ao povo colombiano

CARTA ABERTA EM SOLIDARIEDADE COM O POVO COLOMBIANO

Segunda-feira, 10 de maio de 2021.

Diante dos últimos eventos de violência, repressão e abuso de poder, dos quais os manifestantes do Greve Nacional da Colômbia, declaramos veementemente:

Nosso apoio ao povo colombiano que se opõe à reforma tributária, bem como outras políticas neoliberais a favor das grandes empresas, que continua a aumentar as desigualdades entre as classes e por sua vez, reduzindo aos que têm menos, a possibilidade de acesso à saúde e Educação de qualidade.

Acrescentamos à nossa indignação o pedido de que os responsáveis ​​por qualquer forma de violência policial utilizada contra os manifestantes, que, no seu merecido direito de expressão, protestam pacificamente, sejam investigados e processados.

Não há motivo algum para justificar a repressão ao protesto popular e menos ainda a utilização de forças armadas treinadas militarmente, como o investigado ¨Mobiliário antimotim¨, que tem causas abertas para aparentes homicídios, desaparecimentos e violações da população civil.

Instamos as organizações internacionais de direitos humanos, a Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), a Organização dos Estados Americanos (OEA) e especialmente a reativação da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), que desde 2014 declarou a a região, como zona de paz, para que intervenha seus bons ofícios e interceda junto ao governo colombiano, entendendo que a paz que promovem não é só a paz entre seus Estados membros, mas deve existir também de sua parte o compromisso de promover no interior cada país o direito humano à paz, o direito ao protesto, a liberdade de expressão e a redução da militarização da polícia, a fim de aumentar o bem-estar social, a qualidade de vida e a justiça social.

Instamos também os países garantidores e parceiros do acordo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia; Cuba, Noruega, Venezuela e Chile, assim como os Tribunais Internacionais de Justiça, solicitam ao Presidente Iván Duque a implementação do acordo de paz assinado pelo governo de Juan Manuel Santos com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia em 2016.

Acabar com a impunidade que se mantém perante os múltiplos homicídios de lideranças sociais, atribuindo aos responsáveis ​​a gestão da investigação e do devido processo judicial e abster-se de decretar o estado de comoção interna, o que não se justifica desde Os canais de diálogo não se esgotaram, e com os quais novas violações de direitos humanos seriam geradas, uma vez que esse recurso poderia ser usado para legalizar ações autoritárias pró-guerra do governo, como restringir o acesso às telecomunicações, limitando a livre circulação de ambas as informações e pessoas e autoridades impostas arbitrariamente e contribuições fiscais.

Unimo-nos ao povo colombiano que exige justiça social e igualdade de oportunidades e direitos para todos com liberdade de expressão sem repressão e pedimos que não caia em provocações ou se deixe incitar, mantendo uma tática de protesto não-violento, relembrando as palavras de Gandhi “A não violência é a maior força à disposição da humanidade”. Apelamos também ao coração dos militares para que, antes de obedecer a uma ordem, se lembrem que é o seu irmão que é atacado.

Os governantes podem ter à disposição os meios de comunicação, o aparato militar e o poder econômico, mas jamais terão nossa consciência, nossa fé em um futuro melhor, nosso espírito de luta e nossa união como povo latino-americano.

Assinamos as seguintes organizações e indivíduos:

Nome da Organização / Pessoa FísicaPaís
Coordenação da Copa do Mundo para o Mundo sem guerras e sem violênciaMundo global
Equipe de Coordenação Geral das Marchas Mundiais pela Paz e Não ViolênciaMundo global
Equipe de Coordenação Geral da Marcha Multiétnica e Pluricultural da América Latina pela Não-violência de 2021Regional latino-americana
Mundo sem guerras e sem violência ArgentinaArgentina
Feministas Humanistas da ArgentinaArgentina
Associação Mútua de Alunos Única da Argentina Argentina
Nahuel TejadaChaco, Argentina
Organização Coletiva NacionalChaco, Argentina
Antonia Palmira SoteloChaco, Argentina
Norma LopezChaco, Argentina
Omar L. RolónChaco, Argentina
Gabriel Luis VignoliChaco, Argentina
Irma Isabel RomeraCórdoba, Argentina
Maria cristina vergaraCórdoba, Argentina
Veronica AlvarezCórdoba, Argentina
Violeta QuintanaCórdoba, Argentina
Carlos HomerCórdoba, Argentina
Emma Leticia IgnaziCórdoba, Argentina
Edgard Nicolás PérezCórdoba, Argentina
Liliana D 'RollCórdoba, Argentina
Ana maria ferreira payaCórdoba, Argentina
Gisela EtcheverryCórdoba, Argentina
Liliana Moyano CaballeroCórdoba, Argentina
Kornelia HenrichmannCórdoba, Argentina
Celia del Carmen SantamaríaCórdoba, Argentina
Maria rosa luqueCórdoba, Argentina
Liliana SosaCórdoba, Argentina
José Guillermo GuzmanCórdoba, Argentina
Marcelo fabroCórdoba, Argentina
Pablo carracedoCórdoba, Argentina
Cesar Osvaldo AlmadaCórdoba, Argentina
Magdalena GimenezCórdoba, Argentina
Hugo Alberto CammarataCórdoba, Argentina
Agustín AltamiraCórdoba, Argentina
UNI.D.HOS (União pelos Direitos Humanos) CórdobaCórdoba, Argentina
Alba Yolanda RomeraCórdoba, Argentina
Claudia Inés CasasCórdoba, Argentina
Viviana salgadoCórdoba, Argentina
Victoria ReusaCórdoba, Argentina
Ruth Naomi PomponioCórdoba, Argentina
Grupo "Coisas Femininas"Córdoba, Argentina
Alba PonceCórdoba, Argentina
Liliana ArnaoCórdoba, Argentina
Comunidade Territorial Indígena Comechingón Sanavirón “Tulián” de CórdobaCórdoba, Argentina
Mariela TuliánCórdoba, Argentina
Fernando Adrián Schule- Secretário-Geral do Partido Humanista de CórdobaCórdoba, Argentina
Associação AMAPADEA (Pais e mães pelo direito à família)Salta, Argentina
Ernest HaluschSalta, Argentina
Yolanda agüeroSalta, Argentina
Carlos Herrando - Partido Humanista de SaltaSalta, Argentina
Mariangela massaTucuman, Argentina
Alcira MelgarejoTucuman, Argentina
Alemão Gabriel RivarolaTucuman, Argentina
Maria Belén López IglesiasTucuman, Argentina
Javier Walter CacieccioTucuman Argentina
Comunidade para o Desenvolvimento Humano BolíviaBolívia
Centros de Estudos Humanistas ChakanaBolívia
Feministas Humanistas BolivianasBolívia
Mundo sem guerras e sem violência na ColômbiaColômbia
Andres SalazarColômbia
Henry GuevaraBogotá Colômbia
Novo Humanismo de BogotáBogotá Colômbia
Cecilia Umaña CruzColômbia
José Eduardo Virgüez MoraColômbia
Mundo sem guerras e sem violência Costa RicaCosta Rica
José Rafael Quesada Jiménez, Vice-Prefeito do Município de Montes de Oca, San José Costa RicaCosta Rica
Giovanny Blanco MataCosta Rica
Victoria Borbón PinedaCosta Rica
Carolina Abarca CalderónCosta Rica
Laura Arias CabreraCosta Rica
Roxana Lourdes Cedeño SequeiraCosta Rica
Mauricio Zeledón LealCosta Rica
Rafael Lopez AlfaroCosta Rica
Ignacio Navarrete GutierrezCosta Rica
A Comunidade para o Desenvolvimento Humano da Costa RicaCosta Rica
Centro de Culturas da Costa RicaCosta Rica
Emilia Sibaja AlvarezCosta Rica
Centro de Estudos Humanistas da Costa RicaCosta Rica
Mundo sem guerras e sem violência no ChileChile
Centro Athelehia de Estudos HumanistasChile
Cecilia Flores AvariaChile
Juan Gomez ValdebenitoChile
Juan Guillermo Ossa LagarrigueChile
Paulina Hunt PrechtChile
Centro Cultural e Esportivo Sem FronteirasVillarrica, Chile
Centro Cultural Orange House VillarricaVillarrica, Chile
Mundo sem guerras e sem violência EquadorEquador
Sonia Venegas PazEquador
Nobodyzhda Díaz MaldonadoEquador
Pedro Ríos GuayasaminEquador
Stalin Patricio Jaramillo Peña, Coordenador da Rota da Paz no Equador (Rota da Paz)Equador
Hope Fernandez MartinezBarcelona, ​​Espanha
Abolicionistas BarcelonaBarcelona, ​​Espanha
White Tide CataloniaCatalunha, Espanha
Francisco Javier Becerra DorcaEspanha
Meditar BarcelonaEspanha
Mundo sem guerras e sem violência GuatemalaGuatemala
Jurgen wilsonGuiana
Iris Dumont FransGuiana
Jean Felix LucienHaiti
Abraham_cherenfant AugustinHaiti
Dupuy PierreHaiti
Alex PetitHaiti
Joseph bruno MetelusHaiti
MORESECILBHaiti
Paul ArroldHaiti-Chile
Mundo sem guerras e sem violência HondurasHonduras
Engenheiro Leonel AyalaHonduras
Angel Andrés ChiessaSan Pedro Sula, Honduras
Mundo sem guerras e sem violência Biodiversidade Não Violência Milan BresciaItália
Mundo sem guerras e sem violência TriesteItália
Mundo sem guerras e sem violência GênovaItália
Mundo sem guerras e sem violência Gli argonauti della paceMilão, Itália
Tiziana Volta CormioItália
Mundo sem guerras e sem violência Mar Mediterrâneo da PazItália
Victor Manuel Sánchez SánchezMéxico
lldefonso Palemón Hernández SilvaMéxico
Rede de Ensino Superior e Interculturalidade na Fronteira Sul-Sudeste do MéxicoMéxico
Mundo sem guerras e sem violência no PanamáPanamá
Mundo sem guerras e sem violência no PeruPeru
César Bejarano PérezPeru
Cidadã coletiva Magdalena CreativaPeru
Fernando Silva Rivero de Los Verdes PeruPeru
Stefano Colonna de LeonardisPeru
Jaqueline Mera AlegriaPeru
Mary Ellen Reategui ReyesPeru
Luis MoraPeru
Madeleine Jhon Pozzi-ScottPeru
Miguel LozadaPeru
A Comunidade para o Desenvolvimento do PeruPeru
Atual Humanista Pedagógico do Peru (COPEHU)Peru
Centro de Estudos Humanistas da Nova CivilizaçãoPeru
Erika Fabiola Vicente MelendezPeru
Marco Antonio Montenegro PinoPeru
Doris Pilar Balvin DiazPeru
Cesar Bejarano PerezPeru
Coletiva Cidadã Magdalenas CreativaPeru
Rocío Vila PihuePeru
Luis Guillermo Mora RojasPeru
Mariela Lerzundi Escudero de CorreaPeru
Luis Miguel Lozada MartinezPeru
Rede Humanista de Ecologia Social, Economia e Mudanças ClimáticasPeru
Jose Manuel Correa LorainPeru
Jorge Andreu MorenoPeru
Diana Andreu ReateguiPeru
Fundação Pangea do PeruPeru
Carlos DregegoriPeru
Orlando van der KooyeSuriname
Rosa Ivonne PapantonakisMontevideo, Uruguai
Rede latino-americana caminhando pela paz e não violênciaInternacional
Rede de Povos Indígenas do 5º. Fórum Humanista Latino-Americano Abya YalaRegião da América Latina
Shiraigo Silvia Lanche da Rede de Povos NativosRegião da América Latina
Rede Espiritual: Sentido da VidaRegião da América Latina

7 comentários sobre "Carta em solidariedade ao povo colombiano"

Deixe um comentário